A maioria das pessoas pensa que é sangue este líquido vermelho, mas a verdade é outra…


Todos ensinam que antes de cozinhar a carne, é bom lavá-la bem para remover todo o sangue. Mas será que isso é verdade


A seguir vai ver cinco mitos populares sobre a carne nos quais não deve acreditar.


Lavar a carne não elimina as bactérias



É habitual acreditar que lavar a peça elimina as bactérias nocivas da superfície da carne. Na verdade, nem mesmo o mais forte jato de água é capaz de matar os micro-organismos perigosos, mas o risco de respingar por toda a superfície da pia e contaminar outros alimentos é muito alto. A lavagem pode remover os fragmentos de osso restantes na carne, após o corte.


A parte interior da carne é absolutamente estéril e a temperatura elevada necessária para a preparação consegue matar sem problema todos os tipos de bactérias que vivem na superfície da peça.


O líquido que sai da carne não é sangue



Embora pareça, o líquido que escorre não é sangue e consiste principalmente de água. A cor vermelha é por causa da proteína mioglobina, responsável pela cor. Na verdade, a mioglobina altera a cor da carne durante o cozimento: o ferro contido nela oxida e o bife acaba por ficar da cor cinza.


A carne fresca não é a melhor



Se cozinhar a carne recém-cortada, ela ficará dura. Portanto, para que seu bife fique suculento e macio, é importante deixar a carne repousar por pelo menos 2-4 horas, tempo necessário para as fibras musculares amolecerem.


A vitela não é mais saudável do que a carne de boi



Costumava-se acreditar que a vitela (carne de animais mais jovens) não só é melhor numa dieta saudável, mas também faz mais bem do que a carne de boi, em geral. Na verdade, o valor calórico da carne bovina com pouca gordura é quase o mesmo, mas o teor de colesterol da vitela é muito maior. Além disso, a carne de boi tem um sabor mais intenso e a vitela geralmente é mais suave.


Fritar carne em fogo alto não ’sela’ a carne



Fritar carne em fogo lento ou ’selar’ o bife não cria barreira contra a humidade, que preserva a suculência do prato. Isso é sabido por todos que já tentaram fritar a carne


É possível manter a suculência da carne controlando a temperatura de cozimento: numa temperatura superior a 60 °C, a humidade da carne começa a evaporar. No entanto, não é motivo para dizer não àquela crosta deliciosa, porque ela melhora o sabor.